segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Palavras

(Raquel Pereira)

Palavras transpõe montes, calam no fundo da alma, trazem alegrias e acolhem tristezas.
Ao mesmo afundam ideias, comprimem sentimentos, esmagam, afetam a sensibilidade humana, constroem e destroem mundos.
Palavras não devem ser jogadas em terreno infértil, como semente ruim que logo se esvai, mas sim como semente boa em terra fértil, onde se concentra toda a esperança de sucesso da plantação.
A terra a espera como mãe pronta a abraçar o filho, de coração alegre. A semente boa por sua vez produz uma colheita riquissíma, enquanto a outra como filha ingrata rejeita o carinho da mãe, acabando com a esperança de uma boa safra, levando todos os esforços depositados em tão boa terra.
As palavras são sementes que podem ou não produzir a mais linda colheita, tanto da alma quanto a dos lábios.
Podem devastar tudo por onde passam. Por isso devem ser pensadas para depois ganhar asas, partindo ao encontro de quem está pronto a recebê-las.

Um comentário:

Rogério Godoy Princiotti Júnior disse...

Selo pra ti meu amor!!

Olha : http://www.omoristas.com/2009/08/selo-este-blog-acerta-em-cheio.html

Responde aê.. hehe..

Te amo minha noivinha linda !